15 de outubro

 

Os melhores professores que tive eram professores por vocação.

Não faziam das aulas um bico ou complemento de renda. Era sua diversão e, por coincidência, seu trabalho.

Ensinar, para eles, era parte de um processo de aprendizagem: os melhores professores que tive não sabiam apenas ensinar, mas tinham uma vontade constante de aprender.

Por isso as aulas eram fenomenais: o tópico era temperado com conhecimentos que iam dos gregos - porque, claro, os gregos sabiam tudo - aos pós-modernos.

E uma pitada de humor, sempre, porque como Sócrates já sabia - e os gregos sabiam tudo - é mais fácil aprender quando de ri.

Dos melhores, fica o nome. Para minha sorte, foram vários, e prefiro o agradecimento coletivo ao erro da omissão.

Fora os mestres jedis que iluminaram o caminho acadêmico, aqui ou na ilha.

Para eles, uma única palavra possível.

Obrigado.

Carta Aberta ao Todo-Poderoso

 

São Paulo, 14 de outubro de 2010.

Estimado Todo-Poderoso,

Posso chamá-lo de TP? Espero que o Senhor não se importe.

Não  sei se com todos os problemas do mundo, guerras, atentados,  terremotos, Corinthians sem técnico, o Senhor assiste aos programas  eleitorais, mas gostaria de saber uma coisa.

Qual Sua opinião sobre todas essas referências abertas ao Senhor na campanha eleitoral?

Obrigado por tudo.

Omne majorem Gloria Te esperatur,

LM

PS - O Senhor costuma ler Dawkins?

 

Acapulco, 14 de outubro de 2010.

Estimado LM,

Espero  que você não se importe que eu te chame de LM. Aliás, eu sei que você  não vai se importar. Uma das vantagens de ser onisciente é que eu sei  das coisas antes que elas aconteçam. Isso é um tédio quando assisto House ou Project Runaway, mas tudo bem.

Essas  referências ao Meu Nome na campanha eleitoral não me preocupam. No  momento estou procurando um técnico para o Corinthians - são mais de  vinte milhões de clamores, minha caixa de email está lotada.

Qualquer coisa, é só pedir.

E pare com essa frescura de falar comigo em latim: sou eterno mas sou atual, falo até internetês.

Flw véio!!!!!

Abs,

OmniPotens

PS - Dawkins é um delírio meu.

Lógica

 

Recebi um email fantástico explicando como votar no segundo turno.

Segundo o raciocínio do privilegiado cérebro que inventou o negócio, está tudo invertido. Se sou PSDB, devo votar Dilma; se sou PT, tenho que votar no Serra.

A lógica:

A. Dilma ganha e, sem Lula,  faz um governo ruim, abre-se caminho para uma chapa imbatível do PSDB em 2014, encabeçada por Aécio Neves + alguém de vice. Portanto, se sou PSDB, voto Dilma.

B. Serra ganha, faz um governo ruim, abre-se caminho para uma volta imbatível de Lula em 2014, com Dilma na vice-presidência, sem a necessidade de alianças. Portanto, se sou PT, voto Serra.

Não é de uma lógica implacável?

Internet é tudo de bom.

McMemorias

 

Os meses de outubro, novembro e dezembro sempre foram uma trinca fenomenal: significava um presente de Dia das Crianças, Aniversário e Natal em seguida.

No Dia das Crianças sempre havia algum tipo de comemoração. Simples, mas tinha.

Em 1986 a comemoração foi ir ao McDonalds da Henrique Schaumann com toda a família - três pessoas - e comer o que quisesse.

Mais legal ainda, tinha uma promoção: comendo um McLanche Feliz com hamburguer você ganhava uma lancha de plástico; pedindo uma edição especial, com BigMac, ganhava um barco.

O lugar estava lotado, mas mesmo assim deu para conseguir uma mesa. O problema era escolher entre a lancha e o barco. Aos nove anos de idade essas decisões são fundamentais.

Com alguma negociação o impasse se resolveu - já que era Dia da Criança, poderia pedir o barco. Meu pai, em solidariedade, pediria a lancha.

Os dois resistiram bravamente até que, no final do ano, se perderam em uma visita à praia, destroçados nas ondas de Acapulco - no Guarujá, conforme a tradução.

Tempos interessantes.

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: